Arquivo da tag: Sobre o lado esquerdo

“Cinema”, de Carlos de Oliveira

Raros são os textos que definem tão bem o que é a poesia. Do livro Sobre o lado esquerdo, reunido em Trabalho poético (Lisboa, Assírio & Alvim), no Rio de Janeiro esse volume pode ser comprado na Poesia Incompleta:

II

A lentidão da imagem
faz lembrar
o automóvel na garagem,
o suicídio com o gás do escapa,
quer dizer,
o coração vertiginoso
e a lentidão do mundo
a escurecer
nas bobines veladas
dos suaves motores crepusculares
ou, por outras palavras,
flashes, combustões,
entregues ao acaso das artérias,
melhor, das pulsações.

2 Comentários

Arquivado em Poesia

“Sobre o lado esquerdo”, de Carlos de Oliveira

De vez em quando a insónia vibra com a nitidez dos sinos, dos cristais. E então, das duas uma: partem-se ou não se partem as cordas tensas da sua harpa insuportável.

No segundo caso, o homem que não dorme pensa: “o melhor é voltar-me para o lado esquerdo e assim, deslocando todo o peso do sangue sobre a metade mais gasta do meu coração, esmagar o coração.”

Do livro Sobre o lado esquerdo, na edição Trabalho poético,
Lisboa, Assírio & Alvim

1 comentário

Arquivado em Poesia