Arquivo da tag: Clarice Lispector

Vista Alegre e A paixão segundo G.H.

Paixão

Anúncios

Deixe um comentário

23/08/2015 · 21:48

“A matéria Clarice”, por José Miguel Wisnik

No site do Instituto Moreira Salles, está disponível uma aula do professor José Miguel Wisnik a respeito de Clarice Lispector. A aula tem duração de 1h30m e faz considerações excelentes sobre a obra dessa autora e sua recepção crítica.

4 Comentários

Arquivado em Vídeo

Clarice – Outra hora da estrela

Clarice Lispector

1 comentário

07/01/2014 · 0:41

A pintura em Clarice Lispector

Reproduzo a resenha que publiquei na revista Ler de outubro de 2013:

            O Instituto Moreira Salles publicou, em 2012, o imprescindível Figuras da escrita, de Carlos Mendes de Sousa, professor de literatura brasileira da Universidade do Minho. Trata-se da leitura mais completa e profunda já realizada acerca da prosa clariciana. Neste ano, a editora Rocco lançou o seu Clarice Lispector – pinturas, ainda inédito em Portugal. O presente estudo revela a mais extensa análise de uma questão apenas discutida brevemente por alguns críticos brasileiros, o que justifica, de antemão, o interesse acerca desse novo título e o lugar especial que esse especialista mantém na fortuna crítica voltada à complexa obra de Clarice Lispector  

            Novamente, evidencia-se o notável caráter investigativo de Carlos Mendes de Sousa, agora lançando diversas perspectivas às artes plásticas na vida e na obra dessa autora nascida na Ucrânia e naturalizada no Brasil. Foram reunidos, sob o foco de sua minuciosa lente de investigação, entrevistas realizadas pela autora e com a autora, cartas, crônicas, trechos de ficção, fotografias, sua biblioteca, gravuras e pinturas do acervo pessoal de Clarice, além das pinturas criadas por ela, que estão sob a guarda do Arquivo-Museu de Literatura Brasileira e do Instituto Moreira Salles. A edição, em papel couchê, reproduz tais obras de artes plásticas, o que garante ao livro um outro atributo louvável. Considerações de caráter biográfico também se encontram à disposição dos leitores, por meio de um texto claro e sedutor, de fácil acesso inclusive aos não especialistas.

            Clarice Lispector – pinturas não abandona o gosto identificado em Figuras da escrita pela gênese de criação. Após constatar a leitura e os sublinhados da autora sobre um livro de Paul Valéry, Degas, danse, dessin, Carlos Mendes de Sousa analisa: “Segundo Valéry, no livro acima citado, um criador só pode entender totalmente aquilo que já foi encontrado dentro de si. O que Clarice terá lido, nos anos 1940, irá iluminar, na década de 1970, um modo de criar que seguirá o lema da procura mais funda que sempre a orientou. Até chegar ao ponto de ela própria pintar, naturalmente, não por acaso, mas como um modo de se interrogar no interior do ato criativo.” Sem dúvida alguma, sua consideração é um tanto quanto inesperada, se levarem-se em conta as muitas declarações de Clarice Lispector a assegurar seu método intuitivo de criação. Mas, por outro lado, a experiência de ver obras de artes plásticas durante sua fase na Europa, ao lado do marido diplomata, indica uma atenção crescente dedicada ao “indecifrável”, como o autor observa a partir de uma carta da autora destinada à sua irmã, Elisa.

            Acerca das pinturas de Clarice Lispector, que sempre despertaram muita curiosidade em seus leitores mais ardorosos, Carlos Mendes de Sousa percebe a existência de dois movimentos: “a fuga e a concentração”; “ao lado do centramento, as linhas em desordem”. Mostram-se, por tensões frequentes em suas pinturas, um “combate explicitado” que, por um jogo de espelhamento, aproxima seus traços à “própria escrita da autora plena de contrastes”.

            Clarice Lispector – pinturas é um livro valioso não apenas para estudiosos e um exemplo inquestionável de uma metodologia de pesquisa que leva a análise de uma obra ao seu limite, iluminando uma série de pontos ocultos de uma escritora que sempre esteve mais ao lado do mistério e do enigma do que da compreensão de fácil acesso.

Deixe um comentário

Arquivado em Resenha

Outra hora da estrela

Extraído do blog do IMS:

Durante as celebrações do aniversário de 92 anos da escritora Clarice Lispector, o IMS lançou um site especial em homenagem à escritora e preparou uma apresentação musical baseada no livro A hora da estrela, realizada no dia 11 de dezembro. O concerto, intitulado Outra hora da estrela, teve direção de Eucanaã Ferraz e contou com a performance de Jussara Silveira (cantora), Marcelo Costa (percussão), Muri Costa (violão) e Bebe Kramer (acordeon). A narração foi de João Miguel.

1 comentário

Arquivado em Efeméride

Hora de Clarice

Reproduzido do site do Instituto Moreira Salles:

No dia 10 de dezembro Clarice Lispector completaria 92 anos. O Instituto Moreira Salles participa da Hora de Clarice, evento que comemora o aniversário da escritora, lançando um site e realizando o concerto Outra hora da estrela, com direção musical de Eucanaã Ferraz. Na apresentação, baseada no livro A Hora da Estrela (1977), serão apresentadas canções relacionadas tematicamente com a obra, como por exemplo, Luz negra, de Nelson Cavaquinho e Amâncio Cardoso, Tudo dói, de Caetano Veloso, e O nome da cidade, de Chico Buarque. Os músicos Jussara Silveira (voz), Bebê Kramer (acordeom), Marcelo Costa (percussão) e Muri Costa (violão) tocarão 19 canções acompanhados pela narração do ator João Miguel, que lerá trechos do livro de Clarice. A venda de ingressos (R$ 30/inteira e R$ 15/meia) para o concerto começa no dia 4 de dezembro, na recepção do IMS-RJ.

Veja abaixo a programação completa da Hora de Clarice no IMS:

Sábado | 8 de dezembro | 17h | IMS-RJ

Clarice para crianças: Apresentação do espetáculo O mistério do coelho pensante, obra de Clarice Lispector, e contos do livro Como nasceram as estrelas, por meio do teatro de bonecos e da música. Entrada gratuita, com distribuição de senhas 30 minutos antes. Idade mínima: 3 anos.

 

Segunda-feira | 10 de dezembro

No dia do aniversário de Clarice Lispector, o IMS coloca no ar um site especial sobre a escritora. Ao criar a página, o IMS proporciona um ambiente de pesquisa bastante completo, rigoroso quanto ao mapeamento de informações, que servirá não apenas para estudantes do nível médio, mas também para graduandos, pós-graduandos e admiradores da obra de Clarice. “Há, sobre a escritora, muitas informações dispersas, por exemplo, quanto às bibliografias, traduções. No site conseguimos reunir praticamente tudo”, explica o organizador Eucanaã Ferraz. Na página, poderá ser encontrada, por exemplo, uma listagem bibliográfica com todos os livros sobre Clarice. Cada obra da autora é comentada por um especialista convidado, como Martha Alkmin e Rosa Gens, da professoras da UFRJ, e Clarisse Fukelman, da PUC-Rio. O site vai apresentar também comparações de traduções em diferentes línguas de um mesmo trecho de um determinado livro, além de publicar uma cronologia ilustrada de vida e obra de Clarice feita por Nadia Gotlib, professora de literatura brasileira e estudos comparados de literaturas de língua portuguesa da USP. Gotlib é também autora de uma apresentação em áudio com comentários de fotos de família de Clarice.

José Miguel Wisnik, ensaísta, professor de literatura brasileira na USP e compositor, concebeu uma aula sobre Clarice especialmente para o site, que também permitirá aos visitantes o download gratuito de dois ebooks de Roberto Corrêa dos Santos, um dos maiores especialistas em Clarice Lispector no Brasil: Ela, Clarice, publicação esgotada, e Na cavidade do Rochedo – A pós-filosofia de Clarice Lispector, livro inédito que deverá entrar no ar no site até o final do ano. Ainda no âmbito editorial, os visitantes terão acesso ao conteúdo integral dos Cadernos de Literatura Brasileira – Clarice Lispector (2004), também esgotado, e a um capítulo de Clarice Lispector – Figuras da escrita, livro do português Carlos Mendes de Sousa, publicado pelo IMS no ano passado.

Do acervo IMS serão publicados documentos inéditos fundamentais para a compreensão de aspectos da escrita de Clarice: notas manuscritas de A hora da estrela (1977) e um caderno de viagem em que Clarice registra sua passagem por cidades como Natal, Libéria, Casablanca e Lisboa (1944).

O site disponibiliza ainda um mapa do Rio de Janeiro, assinalando lugares citados pela escritora em diversas obras (como Leme e Jardim Botânico) e relacionando esses locais a trechos de livros de Clarice.

Consta do site um blog no qual serão atualizadas informações sobre a escritora, como eventos, peças, filmes.

 

De 10 a 16 de dezembro

O livro Clarice Lispector – Figuras da escrita, do crítico literário português e professor de literatura brasileira Carlos Mendes de Sousa, será vendido nas lojas dos centros culturais do IMS (Poços de Caldas, Rio de Janeiro e São Paulo) e na loja Instituto Moreira Salles por Livraria Cultura (no Conjunto Nacional, em São Paulo) com desconto, no valor de R$ 50.

 

Terça-feira | 11 de dezembro | 20h | IMS-RJ

Concerto Outra hora da estrela

Apresentação musical baseada no livro A hora da estrela

Com Jussara Silveira (voz), Bebê Kramer (acordeom), Marcelo Costa (percussão) e Muri Costa (violão).

Direção: Eucanaã Ferraz

Narração: João Miguel

R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) – venda de ingressos apenas na recepção do IMS-RJ, a partir de 4 de dezembro (terça-feira). Venda limitada a dois ingressos por pessoa.

 

Outras instituições

A editora Rocco também participa da programação da Hora de Clarice, conforme abaixo:

 

SÃO PAULO

– 10/12, às 19h, Livraria da Vila: “O narrador na obra infantil de Clarice Lispector em texto e imagem”, com o ilustrador Odilon Moraes e a professora doutora da PUC-SP, especialista em Literatura Infantil, Juliana Silva Loyola (R. Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena).

– 10/12, às 19h, Livraria Cultura Conjunto Nacional: “Laços de família e A legião estrangeira”, com o músico, compositor e professor de Literatura Brasileira da USP, José Miguel Wisnik (Av. Paulista, 2073, Bela Vista).

– 10/12, às 19h, Livraria Cultura Shopping Bourbon: “Clarice jornalista”, com Aparecida Nunes, organizadora do lançamento Clarice na cabeceira – Jornalismo, e a professora e biógrafa Nadia Batella Gotlib (R. Turiassu, 2100, Perdizes).

Atividades infantis

– 8/12, às 16h, Livraria da Vila Shopping Pátio Higienópolis: Contação de história infantil Como nasceram as estrelas, com Julio Cesar (Av. Higienópolis, 618).

– 9/12, às 16h, Livraria da Vila Shopping JK Iguatemi: Contação de história infantil A vida íntima de Laura, com Julio Cesar (Av. Juscelino Kubitschek, 2041, Itaim Bibi).

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Shopping Morumbi: Contação de história infantil a vida íntima de Laura, com Marinela Muto (Av. Roque Petroni Jr, 1089).

RIO DE JANEIRO

– 8/12, às 18h30min, Livraria da Travessa Shopping Leblon: Bate-papo e leitura dramatizada de textos, com a atriz Beth Goulart, a biógrafa Teresa Montero e a psicanalista Daisy Justus (R. Afrânio de Melo Franco, 290, loja 205 A, Leblon).

– 10/12, às 19h30min, Livraria da Travessa Shopping Leblon: “Encantamento e sedução na arte de contar histórias de Clarice Lispector”, com a diretora da Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio, Eliana Yunes, e a doutora em Letras pela UFRJ, Regina Michelli, com mediação do subeditor da Rocco Jovens Leitores, Pedro Vasquez (R. Afrânio de Melo Franco, 290, loja 205 A, Leblon).

– 10/12, às 19h, Midrash Centro Cultural: Peça Silêncios claros, com Clarice Niskier e Esther Jablonsky, seguida de debate com Clarisse Fukelman, professora da PUC-Rio e doutora em Literatura Brasileira, e o acadêmico Arnaldo Niskier (R. Gal. Venâncio Flores, 182, Leblon).

– 9/12 Programação Jardim Botânico (Entrada principal –  Rua Jardim Botânico, 1008 – Junto ao Largo das Tartarugas)

 10h Sarau de Clarice com crônicas do livro A Descoberta Do Mundo, direção Delson Antunes, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

11h Passeio pelo arboreto guiado pela biógrafa Teresa Montero, idealizadora do projeto O Rio de Clarice, com chegada no lago Frei Leandro e inauguração dos bancos com frases da escritora produzidos pelo designer Antonio Bernardo.

11h Oficina de livros de pano com Beth Araujo e Martha Loureiro, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

15h Contação de história infantil A vida íntima de Laura, com Flavia Reis.

16h Oficina de livros de pano com Beth Araujo e Martha Loureiro, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

Atividades infantis

– 8/12, às 11h30, Livraria da Travessa de Ipanema: Contação de história infantil A vida íntima de Laura, com Kika Farias (R. Visconde de Pirajá, 572).

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Shopping Rio Sul: Contação de história infantil A vida íntima de Laura, com Flavia Reis (R. Lauro Müller, 116).

RECIFE

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Shopping Recife: Contação de história infantil Como nasceram as estrelas, com Clécio Ernandes (R. Padre Carapuceiro, 777, Boa Viagem).

– 10/12, às 19h, Livraria Cultura Paço Alfândega: “As crônicas de Clarice Lispector”, com a escritora Geórgia Alves, o jornalista e escritor Samarone Lima e a escritora e professora da UFPE Luzilá Gonçalves (R. Madre de Deus, s/nº).

PORTO ALEGRE

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Praia de Belas: Contação de história infantil Quase de verdade, com Gabriela Araujo (Av. Praia de Belas, 1181, 2º Piso).

– 10/12, às 19h, Livraria Saraiva Praia de Belas: “A obra infantil de Clarice Lispector”, com Ana Mariza Filipouski, doutora em Letras, professora de Crítica Literária e formadora de professores (FAPA-RS) (Av. Praia de Belas, 1181, 2º Piso).

– 10/12, às 17h, Palavraria Livros & Cafés: “As personagens de Clarice Lispector”, com a socióloga e escritora Hilda Simões Lopes Costa (R. Vasco da Gama, 165, Bom Fim).

BELO HORIZONTE

– 9/12, às 16h, Saraiva Diamond Mall: Contação de história infantil O mistério do coelho pensante, com Aline Cantia (Av. Olegário Maciel, 1600).

– 10/12, às 19h, FNAC: “Os contos de Clarice Lispector”, com Wander Melo Miranda, professor titular de teoria da literatura da UFMG (Rodovia BR-356, 3049, Belvedere).

CURITIBA

– 8/12, das 10h às 16h, Livraria da Casa Vilanova Artigas: Leitura de textos de Clarice Lispector e oficinas, com a escritora e tradutora Claudia Borio (R. da Paz, 479).

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Crystal Plaza Shopping: Contação de história infantil A mulher que matou os peixes, com Larissa Lima (R. Comendador Araújo, 731, Batel).

FLORIANÓPOLIS

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Shopping Iguatemi: Contação de história infantil Como nasceram as estrelas, com Felícia Fleck (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica).

BRASÍLIA

– 9/12, às 16h, Livraria Saraiva Shopping Patio Brasil: Contação de história infantil A mulher que matou os peixes, com Grupo Três Porquinhos (SCS/B – Lote A, Nível 1).

1 comentário

Arquivado em Evento

Clarice Lispector elogiada por Orhan Pamuk e Pedro Almodóvar

Matéria de Ubiratan Brasil publicada no site do Estadão:

É o momento Clarice Lispector – quinta-feira, as livrarias dos Estados Unidos começam a receber quatro livros (Perto do Coração Selvagem, Água Viva, A Paixão Segundo G. H. e Um Sopro de Vida) da grande escritora traduzidos para o inglês, todos pela editora New Directions, que já lançou no ano passado A Hora da Estrela. O fato repercutiu na imprensa, com o jornal Los Angeles Times citando a frase de um antigo tradutor de Clarice (1920-1977), Gregory Rabassa, que comparava a autora brasileira a Marlene Dietrich (no traço físico) e a Virginia Woolf (no traço estilístico).

“A maneira chocante com que fala dos grandes temas é a característica de sua prosa que mais desperta atenção do leitor americano”, acredita Benjamin Moser, organizador dos lançamentos e grande divulgador da prosa clariciana entre seus conterrâneos, especialmente depois de publicada a tradução em inglês de sua biografia Clarice, lançada em 2009 pela Cosac Naify. “São assuntos que, no nosso dia a dia, não temos coragem de enfrentar – a vida, a morte, o Deus – e que são os grandes temas universais, independentemente de detalhes superficiais, como a nacionalidade do leitor.”

Os quatro volumes chegam com um delicado projeto gráfico: juntas, as capas reproduzem uma foto de Clarice jovem. E, em um canto, são reproduzidos elogios de personalidades literárias como Jonathan Franzen (“Uma escritora verdadeiramente notável”), Orhan Pamuk (“Uma das mais misteriosas autoras do século 20”) e Colm Toíbín (“Um dos gênios ocultos do século 20”), além de uma citação do jornal The New York Times (“A principal escritora latino-americana de prosa do século”).

Moser, que descobriu a escrita de Clarice na universidade, durante um curso sobre literatura brasileira em que se estudou A Hora da Estrela, enriqueceu ainda a nova fornada de volumes com prólogos diversos, como o assinado por Caetano Veloso para Perto do Coração Selvagem e um surpreendente texto de cineasta Pedro Almodóvar que, ao recusar o convite de Moser para escrever sobre Um Sopro de Vida, acaba tecendo vários elogios à autora.

Apesar do enorme sucesso, Benjamin Moser considera tardia a chegada da obra de Clarice ao mercado americano. E o que a mantinha tão afastada? “A resposta é simples: uma má tradução”, acredita. “As antigas versões em inglês eram muito ruins. Tentaram preencher ou eliminar as estranhezas da linguagem de Clarice, de ‘completá-la’, sem entender que isso é que justamente fizeram de Clarice a escritora Clarice. Se conseguirmos na nova série fazer o leitor americano chegar mais perto do coração de Clarice, teremos sabido traduzir um pouco do encanto do seu português esquisito e belíssimo.”

Como editor de séries da New Directions, Moser já planeja novos lançamentos – em seus planos, figuram Contos Completos, além de uma obra infantil. Um trabalho de paciência, pois a dificuldade continua na tradução – alguns dos novos lançamentos, por exemplo, passaram por até oito versões. Mesmo assim, Moser orgulha-se de ter feito uma contribuição às letras americanas. “Trata-se de algo realmente revolucionário.”

No Brasil, os livros de Clarice são um dos bens mais preciosos do catálogo da editora Rocco, que prepara vários lançamentos a partir do segundo semestre. Em outubro, por exemplo, deve sair a coletânea Clarice na Cabeceira – Jornalismo, que vai reunir textos publicados na imprensa ao longo de quase quatro décadas.

Organizada por Aparecida Maria Nunes, a obra pretende oferecer uma amostra consistente da forma singular como Clarice praticava o jornalismo, seja no papel de repórter, entrevistadora, colunista de páginas femininas ou cronista, além de ajudar a traçar um perfil do próprio jornalismo brasileiro nesse período.

Também a obra infantojuvenil da escritora vai ganhar nova edição, com um projeto gráfico reformulado e volumes em capa dura. Os primeiros serão A Vida Íntima de Laura, ilustrado por Odilon Moraes, e A Mulher Que Matou os Peixes, por Renato Moriconi. 

TRECHO

“Esse livro (Um Sopro de Vida) provocou em mim um efeito similar ao dos primeiros romances que li do sul-africano J. M. Coetzee. Cada frase acumula tal quantidade de significados, é tão densa, rotunda e rica que eu preciso parar antes de sentir um impacto semelhante a trombar com uma parede (…)

O romance é recheado de frases memoráveis sobre a criação literária e a passagem do tempo, o desespero e a multiplicidade humana, incluindo a necessidade de se falar de si mesmo, a procura por um interlocutor e o fato de se encontrar isso dentro de si mesmo. Quero citar frases dela na edição em livro do roteiro de A Pele Que Habito.”

Trecho da carta de Pedro Almodóvar a Benjamin Moser

Deixe um comentário

Arquivado em Mercado editorial