“Cinema”, de Carlos de Oliveira

Raros são os textos que definem tão bem o que é a poesia. Do livro Sobre o lado esquerdo, reunido em Trabalho poético (Lisboa, Assírio & Alvim), no Rio de Janeiro esse volume pode ser comprado na Poesia Incompleta:

II

A lentidão da imagem
faz lembrar
o automóvel na garagem,
o suicídio com o gás do escapa,
quer dizer,
o coração vertiginoso
e a lentidão do mundo
a escurecer
nas bobines veladas
dos suaves motores crepusculares
ou, por outras palavras,
flashes, combustões,
entregues ao acaso das artérias,
melhor, das pulsações.

2 Comentários

Arquivado em Poesia

2 Respostas para ““Cinema”, de Carlos de Oliveira

  1. Pingback: “Cinema”, de Carlos de Oliveira | B...

  2. Pingback: “Cinema”, de Carlos de Oliveira | O LADO ESCURO DA LUA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s