“hoje, que eu estava conforme ao dia fundo,”, de Herberto Helder

 

hoje, que eu estava conforme ao dia fundo,
fui-me a reler alguns dos meus poemas,
e então caí abaixo de mim mesmo,
e era só o que faltava:
sáfara safra
– nem as mãos me serviam,
nem a dor escrita e lida me serve para nada

 

Do livro Servidões, Lisboa, Assírio & Alvim

4 Comentários

Arquivado em Poesia

4 Respostas para ““hoje, que eu estava conforme ao dia fundo,”, de Herberto Helder

  1. Pingback: O LADO ESCURO DA LUA

  2. jorge

    Como já escrevera o Senhor Campos, parodiando o “Seu” Pessoa:
    Eu acho que não vale a pena ter
    Ido ao Oriente e visto a Índia e a China.
    A terra é semelhante e pequenina
    (…)

  3. jorge

    Servidões. É já Amor antigo, revisitado.
    Pera servir-vos, braço às armas feito,
    Pera cantar-vos, mente às Musas dada;
    Camões, Lus., X, 155, 1-2, o poeta é um servidor;
    para Pessoa, um fingidor.

  4. Consegui um exemplar de Servidões, esgotado logo após o lançamento!
    É maravilhosamente terrível!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s