Plágio

No blog Retábulo de Jerônimo Bosch, Everardo Norões constata que a letra da música “Água viva”, de Raul Seixas e Paulo Coelho, foi plageada do poema “Cantar da alma que se alegra em conhecer Deus pela fé”, de San Juan de la Cruz [via Lula Arraes]:
Quando ouvi a música Água viva (Raul Seixas e Paulo Coelho), algo me disse: conheço bem a fonte. A fonte, que é vinho, conforme observou um amigo crítico; vinho, transformado em sangria. Porque a fonte é um poema de San Juan de la Cruz, o Cantar da alma que se alegra em conhecer Deus pela fé. A fonte que mana e corre foi cantada pelas crianças da Funase, no auditório da Compesa. Qual delas um dia irá saborear a poesia do grande místico espanhol, despida de ‘adaptações’, na pureza de olho d’água da serra ou do vinho que também umedeceu a boca de Hafiz?
Água Viva
 Raul Seixas
Eu conheço bem a fonte
Que desce aquele monte
Ainda que seja de noite
Nessa fonte está escondida
O segredo dessa vida
Ainda que seja de noite
“Êta” fonte mais estranha,
que desce pela montanha
Ainda que seja de noite.
Sei que não podia ser mais bela
Que os céus e a terra, bebem dela
Ainda que seja de noite
Sei que são caudalosas as correntes
Que regam os céus, infernos
Regam gentes
Ainda que seja de noite
Aqui se está chamando as criaturas
Que desta água se fartam mesmo
às escuras
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite…
Eu conheço bem a fonte
Que desce daquele monte
Ainda que seja de noite
Porque ainda é de noite!
No dia claro dessa noite!
Porque ainda é de noite
***
Cantar del alma que se huelga 
de conocer a Dios por fe
San Juan de la Cruz
Qué bien sé yo la fonte que mane y corre,
aunque es de noche.
1. Aquella eterna fonte está escondida,
que bien sé yo do tiene su manida,
aunque es de noche.
2. Su origen no lo sé, pues no le tiene,
mas sé que todo origen de ella tiene,
aunque es de noche.
3. Sé que no puede ser cosa tan bella,
y que cielos y tierra beben de ella,
aunque es de noche.
4. Bien sé que suelo en ella no se halla,
y que ninguno puede vadealla,
aunque es de noche.
5. Su claridad nunca es oscurecida,
y sé que toda luz de ella es venida,
aunque es de noche.
6. Sé ser tan caudalosos sus corrientes.
que infiernos, cielos riegan y las gentes,
aunque es de noche.
7. El corriente que nace de esta fuente
bien sé que es tan capaz y omnipotente,
aunque es de noche.
8. El corriente que de estas dos procede
sé que ninguna de ellas le precede,
aunque es de noche.
9. Aquesta eterna fonte está escondida
en este vivo pan por darnos vida,
aunque es de noche.
10. Aquí se está llamando a las criaturas,
y de esta agua se hartan, aunque a oscuras
porque es de noche.
11. Aquesta viva fuente que deseo,
en este pan de vida yo la veo,
aunque es de noche.

3 Comentários

Arquivado em Notícia

3 Respostas para “Plágio

  1. Nilton Fernando

    Raul sempre admitiu que a musica foi baseada no poema. Ouça aqui o que ele diz… http://www.youtube.com/watch?v=2Q9Xh4QiZqU

  2. O Raul Seixas sempre assumiu de onde ele teve a inspiração dessa música:
    Água viva – Raul Seixas

    Plágio é quando o autor não é citado, neste caso ele cita o autor…
    Essa música é no máximo uma releitura…

    #RaulSeixasVive

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s